Namanhumbir: Da benção de Deus à maldição do Governo

As enormes quantidades de rubi descobertas em Namanhumbir, há sensivelmente cinco anos transformaram este posto administrativo de Montepuez, Província de Cabo Delgado,  num verdadeiro El Dourado. Garimpeiros oriundos de diversas partes do país e de África arriscam suas vidas quase que diariamente em busca do rubi numa área concessionada a Montepuez Ruby Mining (que conta com 75% das acções da Gemfields) para mais tarde serem vendidos a compradores, na maior parte de origem asiática.

Continuar a ler…

Assim reagiram os moçambicanos no Twitter ao lançamento do Iphone 7

No dia em que os moçambicanos celebravam o dia da vitória em referência aos acordos de Lusaka de 1974, a milhares de quilómetros de distância, em San Francisco na Califórnia, um outro evento de magnitude planetária estava decorrer: o lançamento do Iphone 7.

Continuar a ler…

Mapeando as mulheres de Nampula no universo das TIC’s

Um mito foi quebrado em Moma, Nampula: a ideia de que as mulheres no meio rural não dão importância e relevância as Tecnologias de Informação e Comunicação. Ao longo de dois dias, seis mulheres abandonaram os seus afazeres para participar de um workshop sobre jornalismo cidadão. Num evento onde partilharam as suas histórias de luta na comunidade, onde enfrentam dificuldades no acesso aos serviços de saúde, educação e o impacto da mineração principalmente, aprenderam com bastante entusiasmo a elevar bem alto as suas vozes através dos mídias sociais e uma plataforma tecnológica.

Continuar a ler…

O grito dos reassentados

Eu sou carvão!
E tu arrancas-me brutalmente do chão
e fazes-me tua mina, patrão.

Eu sou carvão!
E tu acendes-me, patrão,
para te servir eternamente como força motriz
mas eternamente não, patrão.

Continuar a ler…

Da inovação ao Impacto

Nairobi, capital do Quénia, acolhe durante os dias 16 e 19 de Maio a oitava Conferência de Tecnologias de Informação e Comunicação para o Desenvolvimento (ICT4D). Trata-se de um evento que junta na mesma sala mais de 600 participantes entre os quais governamentais, activistas e especialistas da sociedade civil com objectivo de desenvolver soluções tecnológicas que cheap jerseys promovam o alcance dos objectivos do desenvolvimento sustentável do milénio.

Continuar a ler…

Um novo olhar sobre o futuro da Moztech

Terminou no sábado passado a terceira edição daquela que é considerada a maior feira tecnológica de Moçambique. Vimos homens de negócios, jovens inovadores e grandes empresas internacionais (ex. Huawei) e nacionais (ex. Standard Bank,) promovendo os seus serviços e soluções para os mais diversos fins. O que não se viu no meio de tudo isto foram soluções práticas e sustentáveis para a maior parte dos moçambicanos, aqueles que vivem no meio rural, dependem da agricultura e que sobretudo são os mais carenciados.

Continuar a ler…

Levando as TIC’s as comunidades rurais

Em Abril de 2015 fiz a minha primeira viagem a Província de Tete, centro de Moçambique. Era o início de uma grande aventura. Tudo começou num mero acaso. O meu papel era dar assistência a minha colega de trabalho. Chegado a Tete e já envolvido com o calor abrasador que lá se fazia sentir, eu não fazia a mínima ideia de qual seria o meu papel. Três dias depois junto com colegas de Tete e da África do Sul produzimos um jornal, um programa de rádio e ajudamos as diferentes comunidades afectadas pela mineração em Tete a encontrar experiências comuns e assim melhorarem as suas estratégias de luta pelos seus direitos.

Continuar a ler…

Mozambique on the edge: violence threatens to reverse progress

In 2012, Mozambique appeared on the list of the 50 most peaceful countries in the world in a report published by UK organisation Global Peace Index.

One year later and it is on the verge of a new civil war that could slow down progress in a country already considered by the UNDP to be the third poorest in the world.

In 1975 Mozambique gained independence from Portugal and the following year witnessed a civil war between government forces led by Frelimo and a rebel movement Renamo that lasted for 16 years. The internationally-brokered 1992 Rome Peace Accords signalled the end of civil war and since then, peace has prevailed for 21 years.

But the peace that Mozambicans tried to preserve, and have so prided themselves on over the years, is at risk of collapsing due to armed conflict between Renamo’s ex-fighters and government troops in the Sofala province. Although Renamo does not take responsibility for the violent attacks, dozens have been killed, including many civilians, and hundreds of families have been forced to leave their homes to take shelter in the bush.

Continuar a ler…